updated 9:41 PM UTC, Feb 21, 2020

Encontro Pernambucano reuniu farmacêuticos e estudantes para debater profissão

Dezenas de farmacêuticos estiveram reunidos no Encontro de Farmacêuticos no Pernambuco.

Dezenas de farmacêuticos estiveram reunidos na última sexta-feira (22/05) para discutir os desafios da valorização da profissão, a defesa do SUS e o cenário político nacional em Recife, no Encontro de Farmacêuticos preparatório para o 8º Congresso da Fenafar e para a 15ª Conferência Nacional de Saúde.

Ao final do encontro foi aprovado um conjunto de propostas que nortearão a participação dos farmacêuticos nas etapas municipais, estadual e nacional de Saúde.

O Encontro Pernambucano de Farmacêuticos foi organizado pela Federação Nacional dos Farmacêuticos (Fenafar), Sindicato dos Farmacêuticos de Pernambuco (SINFARPE) e Escola Nacional dos Farmacêuticos, com apoio do CRF-PE.

Os trabalhos foram conduzidos por Fernanda Manzine (Escola Nacional de Farmacêuticos), Veridiana Ribeiro (Presidente do SINFARPE) e Eliane Araujo (Diretora da Fenafar).

Um aspecto muito ressaltado durante o encontro foi a necessidade de se desenvolver políticas para a pesquisa e produção de insumos farmacêuticos e medicamentos no Brasil, como forma de enfrentar a dependência externa e também porque esta é uma área importante para a atuação da categoria.

Entre as propostas que foram apresentadas neste sentido estão a inserção e ampliação nas PDP’s à produção publica (Laboratórios oficiais) de medicamentos do componente da Assistência Farmacêutica Básica; o Fortalecimento dos laboratórios públicos para a ampliação de produção e registro de medicamentos do componente básico para atuar como agente regulador para repasse com custo s baixos reduzidos ao Sistema Único de Saúde; o Incentivo na formação do Pólo Farmacoquímico de química fina e existência de transparência e prestação de contas dos projetos de pólos tecnológicos e farmacoquímicos e empresas públicas como Hemobrás; Incentivo à pesquisa na área de fitoterápicos, utilizando-se a enorme biodiversidade brasileira; Defesa da propriedade intelectual e revisão da política de patentes; Defesa da produção nacional de produtos para uso de interesse aos usuários do SUS; Defesa da finalização e execução do projeto da Hemobrás com transparência e monitoramento; Vetar a entrada de capital das indústrias farmacêuticas estrangeiras na indústria nacional.

Também foram apresentadas inúmeras propostas para a inserção do farmacêutico no SUS, para o aprimoramento da Política Nacional de Assistência Farmacêutica, para a implementação da Lei 13.021 entre outras.

Da redação com informações do CRF-PE

Última modificação emDomingo, 11 Junho 2017 19:33